Avaí vendeu gato por lebre!

O Lucas Pires, que na última sexta-feira estava na Avaí Store da Ressacada conferindo de perto a entrega das novas camisetas do Avaí na Copa do Brasil 2011 produzidas pela Fanatic, saiu bastante frustrado com o amadorismo por parte da Fanatic e Avaí Futebol Clube e da falta de organização do evento.
-"Fui na Avaí Store presenciar a entrega das 40 camisetas que foram pré-vendidas. Falaram no site que o Rafael Coelho e o Marquinhos iriam lá autografar as camisetas entre as 18h e 19h. Pra começar, os caras ficaram até às 18h30!"
Ainda mais pelo horário (saída do trabalho do pessoal) e também pela localização do estádio da Ressacada, fez com que esta meia hora frustrasse muitas pessoas que lá foram apenas para ver os jogadores de perto:
-"Presenciei pai chegando com criança, e frustrando o filho de 5, 6 anos porque os caras simplesmente foram embora! Pensa na felicidade do pai chegando com o filho lá e de repente, descobre que os caras foram embora?"
E os problemas não pararam por aí! A organização do Avaí vendeu dois tipos de camiseta: uma com o número 10 do Marquinhos e outra do Rafael Coelho. Ambas já vinham com o nome dos jogadores impressos nas costas. É claro que venderam todas num piscar de olhos!
-"Mas aí, mandaram só camisa 10. E todas sem nome! Aí já imagina a encrenca que foi na hora da entrega, né?"
É incrível como o Avaí consegue se perder em coisas tão fáceis de serem geridas. Não é possível que tantos profissionais "gabaritados" ainda consigam provocar tanto amadorismo!
E mesmo que a culpa tenha sido ou da Fanatic, ou da Avaí Store, ou deste ou daquele, a imagem que é manchada é sempre a do Avaí Futebol Clube.
O Avaí está crescendo como nunca, mas errando em coisas básicas como sempre!
No blog da Kátia de Paula, você pode ver o relato completo de quem comprou gato por lebre!
Fotos: Lucas Pires e Kátia de Paula

2 comentários:

Gui disse...

Termino esta semana o Mestrado em Ciências do Movimento Humano na área de Desempenho Humano (fisiologia do exercício) pela UDESC e desde as fases iniciais da graduação acompanho os trabalhos dos clubes aplicando testes físicos para a UDESC e UFSC. Gostaria de salientar o amadorismo nesta área que temos cá em Florianópolis, um convênio simples com a parte de extensão e pesquisa das universidades seria de grande valor para o crescimento dos clubes, mas infelizmente os trâmites burocráticos e o nepotismo interferem diretamente nesta integração.

A contratação de pessoal devidamente qualificado adiantaria muitos desses processos simples...

Abraços a todos

Fábio Fejaum disse...

Gui,

é bem por aí mesmo. Sabemos que o Avaí já se profissionalizou muito na última década, mas ainda existem aspones lá dentro. Fica nossa torcida para que o que você bem disse se concretize: "A contratação de pessoal devidamente qualificado adiantaria muitos desses processos simples..."

Abraços!

Postar um comentário