Sem inspiração

Jogadores sem vontade, blogueiro sem palavras. Via Getty Images
Não é por acaso que este blogueiro está demorando tanto para escrever ultimamente. Meu último post foi ainda antes do jogo contra o JEC: naquele momento o Avaí já passava por uma situação delicada. O fantasma de 2013, mesmo com tentativas de panos quentes por alguns, estava escancarado e assombrando os torcedores avaianos. Aquela era a chance de voltar a brigar pelo acesso com dignidade, mas fomos humilhados em nossa própria casa. Foi o nosso funeral para 2014.
Pensei em escrever sobre aquele humilhante resultado, onde nossos jogadores - à exemplo de 2013 - não mostraram luta e tomaram um verdadeiro baile do time da cidade do balé. Diga-se de passagem: se havia algum problema na entregada do ano passado, este não era Hemerson Maria. Ele vai subir pra Série A com o JEC.
Mas esperei o jogo contra o Luverdense, afinal, houve uma mobilização da torcida avaiana no domingo de manhã: alguns malucos, como o amigo Adriano Assis, foram até à Ressacada dar uma última palavra de apoio à nossos "atletas".
Mas a falta de vontade, apatia ou até mesmo, digamos, falta de inspiração dos jogadores avaianos, entrou em campo mais uma vez e perdemos para o time de uma cidade que se chama Lucas de Rio Verde.
O que mais frustra o torcedor avaiano, é que pelo segundo ano consecutivo, os jogadores nos mostraram que era fácil subir, que o acesso estava à nosso alcance. Mas quando começamos a acreditar novamente, eles pisaram no freio, tiraram o pé e nos envergonharam. Fizeram com que jogássemos nosso orgulho no lixo pelo segundo ano consecutivo. Humilharam a maior torcida de Santa Catarina, mais uma vez.
Nossa tradição quase centenária não está acostumada com derrotas. Desde nossos avós (coisa impensável nos demais times "que nasceram ontem" no futebol de Santa Catarina), vimos nosso Avaí conquistar a hegemonia do futebol catarinense. ouvimos histórias de conquistas heróicas, de tempos de amor à camisa e raça avaiana. Até os mais jovens, recentemente presenciaram a melhor campanha de um clube catarinense na Série A quando chegamos em sexto lugar em 2009 e a melhor campanha de um clube catarinense em uma competição internacional, quando avançamos até a quarta fase da Copa Sul Americana de 2010.
Queremos isso de volta e não um bando de jogadores que se preocupam mais com suas tatuagens, seus penteados ou a cor das suas chuteiras do que com a história de luta, de raça e de conquistas do Avaí Futebol Clube.
Chances matemáticas? Claro que temos, mas depois do tapa na cara que levamos ano passado e de vermos o filme se repetindo este ano, não acredito mais no Avaí para este ano de 2014.
Os ídolos do passado, devem ser lembrados, mas no passado. Chegou a hora de reformular. É preciso olhar pra frente. É preciso aprender com os erros do passado. Se jogadores não são competentes para o acesso por dois anos consecutivos, porquê seriam competentes na terceira tentativa? Está na hora de fazer a limpa, de cortar o mal pela raiz e pensar a Série B de 2015.
Via ESPNFC

3 comentários:

Murilo Moreira disse...

Fábio,

Bem nessa, está na hora de limpar e deve começar por quem esperávamos muito mais do que vem jogando. Aliás já deveria ter feito isso final do ano passado.

Fábio Feijão disse...

Poisé Murilo,

Sequência de incompetência de diretoria e jogadores. Nosso clube estará à mercê de empresários em 2015. Pode escrever...

Abraço!

NILO disse...

Adorei seu comentário. O que se vê hoje é um bando de jogadores descomprometidos com o hino e a história do time mais querido do Estado. Tem que ir na bola como vão num prato de comida, como diz o Miguelzinho. O Marquinhos tem que dar o nome aos bois, pois a torcida precisa saber disso

Postar um comentário